Deixe seu e-mail e saiba das novidades:

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Karla da Silva, A nova voz da Lapa


Karla da Silva, jovem cantora carioca do bairro de Cascadura - Rio de Janeiro. Desde criança teve contato com a música nas rodas de violão de seu quintal. Karla cresceu ouvindo obras musicais de uma época cheia de preciosidades. Aos seis anos, sua alegria eram os dias em que participava dos ensaios da escola de samba do bairro, a Caprichosos de Pilares, onde seus pais eram diretores de harmonia. Em 2002 ingressou na Escola de Música Villa-Lobos onde estudou violino. Formou-se em Letras, Português - Literaturas, pela Universidade Veiga de Almeida. Estudou canto com a pianista e cantora Vera Gama, grande mestra, e em 2005 recebeu o convite para cantar na Orquestra Popular Brasil de Cara, um grupo, formado em sua maioria por estudantes de música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que mescla ritmos como xote, samba, baião, coco, maracatu e choro numa fusão performática pra lá de brasileira! Com o grupo viveu experiências musicais maravilhosas, ganhou o prêmio de 2ª melhor canção no Festival do Conservatório de Tatuí/SP, em maio de 2007 e 1° lugar no Festival de Música de Piraí/RJ em agosto de 2007. Foi classificada entre os 10 finalistas da 2ª Mostra de Novos Talentos da casa de samba Carioca da Gema em novembro de 2007 e vencedora do Concurso Holofote do Bar da Ladeira em março/2008, ambos na Lapa. Em junho de 2008 foi classificada para a final do Concurso de Calouros do programa Ponto do Samba, na Rádio Nacional, apresentado por Dorina e Ruben Confete, realizada em julho de 2008 no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. Em Outubro de 2008 participou do concurso internacional Prata da Casa PETROBRAS realizado no Villa Country - São Paulo e dirigido pelo músico e arranjador Ivan Teixeira, concorrendo na categoria “melhor intérprete”, foi analizada por Arnaldo Sacomani, Max de Castro, Lua Lafaiette, Luís Paulo Serafim e Carlos Rennó recebendo o prêmio de 3º lugar. Considerada uma das novas Vozes da Lapa, Karla está as voltas com a produção de seu primeiro cd, esperado para 2010, no qual contará com canções desta nova safra de compositores - além de uma composição da própria cantora.

Sua proposta é resgatar a poesia das canções, do velho samba, da Bossa Nova, do cancioneiro brasileiro, os batuques, tornar reais as lembranças do antigo quintal.

"Cantar é a coisa que mais amo fazer na vida e a cada dia cantar toma uma forma maior na minha maneira de lidar com o mundo, com a natureza, com as emoções e as pessoas. Gosto de olhar nos olhos, gosto de ver o riso das pessoas, eu canto pra viver, canto para o mundo, com amor, canto para o coração de cada ser humano, seja quem for." Karla da Silva.

Em seu primeiro trabalho fonográfico, intitulado "Festejo e Fé", Karla nos apresenta um universo grandioso de sentidos advindos principalmente de nossa "brasilidade" (inclusive com toda a diversidade que esse nome representa), pois "Festejo e Fé" é exatamente isso, representa a própria cultura do brasileiro, muito fincada em grandes festejos, quase sempre advindos de manifestações calcadas na fé. "Festejo e Fé" além de tudo isso é também um convite para dançar junto, celebrar e se emocionar, pois como bem diz a canção homônima de Fred Demarca e
Marcelo Fedrá:

"Festa não tem hora prá acabar, reza pra vida durar o que puder, Festejo e fé."

Karla da Silva se apresentou no dia 25 de janeiro no Espaço cultural da Multifoco, também na Lapa e conta como foi a emoção de mais um show "Festejo e Fé":


Foi bom demais rever os amigos, fazer novos amigos e perceber o quanto as pessoas respeitam e acreditam nesse trabalho, estão ali com carinho.
A platéia tava se curtindo, acho que esse show foi um reencontro da tribo também! (risos)
E ao mesmo tempo uma celebração, um festejo feito com carinho pros que estavm vindo pela primeira vez e serão sempre bem vindos!
A casa teve lotação esgotada, isso foi chato, e infelizmente alguns amigos não conseguiram entrar...mas breve teremos mais festejos!

Todos do show saíram entusiasmados e animados, no fim do show a grande maioria foi cumprimentá-la e seus músicos. Entre tantas declarações que soubemos, essa me chamou atenção porque foi exatamente o que eu pensei:

"Fiquei fascinado pelo seu Show! Foi lindo e emocionante demais! Não foi só beleza para os ouvidos, mas também para os sentidos e, melhor, foi bom para o coração. Já estou ansioso pelo show na Lapinha!
Um beijão!"
(Vinícius Rosa Ribeiro - Rio de Janeiro)

Confira algumas perguntas respondidas pela cantora CLICANDO AQUI.


Confira o vídeo-release de seu cd "Festejo e fé", realizado pela Caixa Preta Produções Artísticas (Contatos abaixo):





Show "Festejo e Fé"

Local: Lapinha (Mem de Sá, 82 - Lapa), às 21:30 . Valor: 12,00
Ligue para reservar sua mesa: 2507-3435 ou 2507-3414


Contatos:

Caixa Preta Produções
(21) 2471-5117 / 9638-5619

Links

Karla Da Silva


Orquestra Popular Brasil de Cara

Continue lendo >>

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Instituto Nossa Senhora do Teatro

Instituto Nossa Senhora do Teatro, é uma instituição que trabalha inspirada nos ensinamentos da grande dama do teatro Fernanda Montenegro (Confira matéria sobre Fernanda Montenegro aqui no blog: 'Fernanda Montenegro ganha livro da Coleção Aplauso'). Fundada em 07 de agosto de 2003, a Nossa Senhora do Teatro é fruto da Oficina de Leitura Dramatizada, realizada pela atriz Fernanda Montenegro em 2002, no SESC de São João de Meriti - RJ, no qual seu fundador, Ricardo A. Vassílievitch, foi um dos selecionados para a oficina. Depois do término, encantado com a atriz abriu a instituição com o objetivo de passar esses conhecimentos para os atores que verdadeiramente pretendem o TEATRO, homenageando-a com o nome da instituição.

Cleyton Brayt: Ricardo, o que mais te encantou em Fernanda?

Ricardo: Fernanda Montenegro é conhecida como a grande dama do teatro brasileiro, título este que não aceita, até porque existem outras damas incríveis como Cacilda Becker, sua irmã Cleyde Yáconis, Ariclê Perez, Dulcina de Morais, não se espante quando falo de nomes que aparentemente não estão entre nós, essa nova geração não os conhecem, e também não tem interesse pela história do teatro, o que é de se lamentar. Mas saibam todos que um artista nunca morre, ele se eterniza pelas obras que deixa e por suas atitudes. Fernanda eu não conheci bem, digo isto porque conheci Arlette Pinheiro, já que quando aluno Fernanda estava completamente despojada da personagem que a reveste e que a indústria televisiva, cinematográfica e teatral corporativa exige dela. Em nossa Oficina de teatro, a que ela ministrou para nós em 2002, não havia nada disso, era uma amiga, uma colega de trabalho, uma mãe, uma avó ensinando seus filhos sem qualquer limite imposto por ela, éramos literalmente iguais. Lembro-me exatamente quando um dia ela disse:

"Gente, eu não sei tudo, sou de uma geração literária, li muito e hoje leio menos. Mas quem desejar saber tudo vai enlouquecer, vamos devagar, sem pressa!” Fernanda Montenegro

Fernanda moveu meus pensamentos, fez com que eu revisasse meus ideais e então minha vida se dividiu em A.F e D.F, e tudo foi diferente a partir dos idos anos de 2002. Mas a sua simplicidade, humildade, o não estrelismo e o fato de equiparar a sua profissão como a de uma simples operária, isso foi para mim como uma fenda aberta no meu coração. Fernanda é uma mulher espiritualizada, isso fez com que nós nos aproximássemos. Fernanda não retém conhecimento e fala de quase um tudo através de sua sabedoria, sei de muitas coisas que aprendi com ela, coisas que posso dividir e outros mistérios que transcendo e morrerão comigo, pois houve ali um pacto de fidelidade.

A Nossa Senhora do Teatro possui alguns cursos nos quais trabalha com bastante exigência para que haja o desenvolvimento dos alunos, o curso mais importante é o 'Preparação e desenvolvimento do ator', com bolsas de 100%, que para conseguir os alunos-atores participam de uma seleção super acirrada.
No decorrer do curso os alunos-atores encantados com as aulas e a participação montam espetáculos, como trabalho escolar e, participam da Imersão Teatral, que geralmente é realizada na Aldeia do Arcozelo, em Paty dos Alferes. Ricardo A. Vassílievitch falou um pouco sobre a Imersão Teatral. (Leia a entrevista na íntegra no final do post)

O Instituto recebeu o prêmio do Itaú Unicef (outubro de 2009) como uma das 20 melhores 'Instituições de Cultura, Arte e Cidadania', no regional Rio de Janeiro e Espírito Santo. Ricardo A. Vassílievitch, no dia da premiação participou de um curso de gestão e capacitação na área de cultural, organizado pela CENPEC (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação comunitária.) Neste dia, Ricardo expôs as dificuldades de se fazer teatro e mostrou esperança no nossa país:


“As coisas não tem sido fáceis, mas não dá para desistir, é preciso sempre acreditar num país melhor, cada um contribui com o que tem, nós temos o teatro e ele pode ter a função de entreter, mas também a de educar, de formar uma nova geração de artistas e homens de bem, isso eu aprendi com uma mulher chamada Fernanda Montenegro!" Ricardo A. Vassílievitch

(Recebimento do certificado do ITAÚ UNICEF)

O Instituto antes funcionava numa sala da Central do Brasil, hoje, com nova sede localizada na Rua da constituição, nº34 - Centro do Rio de Janeiro - RJ. Esta nova sede impulsiona os integrantes do instituto, o fundador fala mais sobre as novas realizações e os novos projetos:

Estamos envolvidos em intensas reuniões pedagógicas, organizando o espaço, nos acostumando com ele, pois tínhamos apenas uma saleta e agora temos um mundo e, a responsabilidade aumentou. Mas podemos dizer que a grade de Oficinas vai aumentar, teremos novas oficinas como: O ator compositor, Teatro-terapia, Teatro para a Infância e adolescência, Teatro básico para iniciantes, Teatro para Espaço alternativo e Oficinas rápidas. O número de vagas para o Curso com fins profissionalizantes, o curso mais avançado aumentou para quase 300 vagas por ano. Também haverá outras oficinas como desenho, música e hip-hop. Isso sem falar nos espetáculos que irão estrear, já temos confirmado os espetáculos da Companhia: “Santa Navalhada”, a história de uma travesti do Rio de Janeiro, dos anos de 1990, moradora da Lapa, uma história intrigante onde se discute o amor e o preconceito protagonizada pelo ator Jefter Paulo e, também “Casa de Misericórdia” que aborda temática sobre a prostituição na Bahia, a saga de uma família que passa de geração a geração a direção de um prostíbulo.

Recado para nosso leitores:

Primeiramente, quero agradecer a sua gentileza pelo convite e não posso deixar de citar aqui membros tão importantes da Companhia Nossa Senhora do Teatro, como Jefter Paulo, que está no Projeto desde 2003, foi o aluno número um, hoje é nosso preparador de corpo, professor de teatro e estudou também com gente importante e séria como Sérgio Britto, Ana Kfouri e Déborah Colker e hoje estuda produção cultural numa universidade pública, além de Pedagogia Waldorf, isto tem permitido um fortalecimento de nossas atividades. Não posso deixar de falar da atriz Ana Ýcaro, hoje atriz e professora das nossas Oficinas, Arnaldo Passos, Fernanda Torres, Adriana Felício e de todos aqueles que nos apoiaram indireta ou diretamente para que nosso trabalho se tornar-se uma referência na cidade do Rio de Janeiro, incluí-se a essa lista todos os nossos ex-alunos como você, e também todos os alunos atuais. Eu gostaria de dizer aos leitores que é possível se fortalecer uma arte tão profunda como o teatro e cada vez mais humanizá-la, o teatro só para vocês terem idéia também pode curar chagas, são inúmeros os relatos que temos de atores que obtiveram curas através da arte e, para encerrar deixo uma frase de Paschoal Carlos Magno, o grande teatrólogo e embaixador da cultura no Brasil

“Um país se apresenta pelo teatro que representa!”

O que estamos apresentando no Brasil? Como estamos representando o nosso país? Muito obrigado.



Se inscreva no curso de 'Preparação e Desenvolvimento do Ator" no Instituto Nossa Senhora do Teatro, as inscrições vão ate dia 23 de fevereiro, não perca! Link abaixo.


Links:


Continue lendo >>

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Espetáculo: Facínora

A Cia. 2 de Teatro estréia o espetáculo "Facínora" entre os dias 9 a 16 de fevereiro no VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA 2011. A peça mostra a história de uma personagem perversa, cruel, má e desalmada e nos mostra uma realidade com críticas mordazes, expondo toda a sua ironia e sarcasmo contra a sociedade e opiniões públicas. Não suporta pequenos detalhes, como um dedinho do pé pra fora da sandália a barulhos de boca. É uma peça onde se discute a intolerância e suas conseqüências: o que resulta na intenção de deixarmos de querer dominar o outro, dominando a nós mesmos.

Facínora é uma mulher de meia idade casada com Porfírio. Dona de um humor sarcástico, de uma personalidade intolerante e de uma sutileza de detalhes atípicos, está sempre pronta a criticar com frieza e crueldade todas as pessoas e situações à sua volta. Porfírio durante toda a narrativa não menciona uma palavra. Indiferente aos comentários de Facínora, se mostra sempre abstraído e inatingível.



Saiba mais sobre a CIA 2 DE TEATRO:



Assista o vídeo promocional:




FICHA TÉCNICA

Atores: Gustavo Rizzotti e Bruno Caldeira
Direção e concepção: Coletiva
Cenário, Figurino e Trilha Sonora: Bruno Caldeira
Iluminação: Gustavo Rizzotti
Produção: Frederico Magella

SERVIÇO

FACÍNORA NO VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA
Data: 08, 09 e 14,15 e 16 de fevereiro, às 20:00
Local: Teatro Marília
Av. Alfredo Balena, 586 – Centro - Belo Horizonte
Classificação: 16 anos

ASSESSORIA DE IMPRENSA
PESSOA Comunicação e Relacionamento
Telefone: (31) 3485-7875
LINK:




Como podem perceber a partir da leitura do release e ao assistir ao vídeo promocional, o espetáculo é bem curioso e intrigante.

Agradecimentos especiais:
Frederico Magella e Assessoria PESSOA Comunicação e Relacionamento

Continue lendo >>

E o povo todo viu!

  ©Conteúdo Cultural - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo