Deixe seu e-mail e saiba das novidades:

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Conteúdo Cultural - Objetivo

A história do BRASIL e de seu povo gira em torno de muitas diferenças: nossas crenças, cores, culturas, etc. O agregar de todas elas formaram uma cultura ímpar, e inexistente em qualquer outro lugar do mundo. Essa miscigenação e junção de culturas fez com que tenhamos na história pessoas incríveis, artistas incríveis.
Se as pessoas conhecerem nosso BRASIL, nossos artistas, as obras que de fato são boas e que não trazem somente dor e sofrimento, essas olharão e perceberão que estão perdendo tempo e se menosprezando e menosprezando o que é nosso. O conhecimento desencadeia um pensamento crítico. A crítica sem preconceito faz com que se goste do material rico que a mídia não expõe, criando sede de conhecimento inesgotável.


Esse é o objetivo do blog "ConteúdoCultural". Visite: facebook.com/conteudocultural




Continue lendo >>

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Teatro de Rua


Teatro de Rua, como o nome diz é o teatro feito na rua. A estética toda formatada para apresentações em espaços abertos, contrariando o estilo feito em espaços fechados. São manifestações artísticas populares e bem antigas que vão dos folguedos do nordeste até máscaras dos espetáculos medievais. Um dos pontos mais importantes é a interação direta que há entre os atores e as pessoas que assistem, diferente do teatro feito em casas de espetáculos, no teatro de rua existe uma maior proximidade, já que não existe sequer o palco. O professor (do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Campinas - Unicamp) Rubens José Souza Brito expressa o surgimento do teatro de rua, leia:


"Não podemos falar exatamente de rua, que ainda não existia; sem dúvida, ele nasceu no seio da comunidade, antes mesmo do estabelecimento do teatro grego. Mas é como a história do leite: a criança que nasce e cresce na capital acha que ele vem da caixinha."

Muitos pensam de maneira errada o teatro de rua, não vêem profissionalismo dos atores e acreditam que eles não têm espaço nas casas de espetáculos, O diretor João Carlos Andreazza comenta o assunto:

" O compromisso que a gente tem com o teatro de rua não é uma falta de opção, pelo contrário."

No Brasil - Celeiro nordestino

O primeiro registro de teatro de rua contemporâneo no Brasil data de 1946, uma iniciativa que envolveu nomes como Hermilo Borba Filho e Ariano Suassuna. A partir desse momento, a história de tal manifestação encontra parada obrigatória também em 1961, com a criação do Movimento de Cultura Popular (MPC), em Pernambuco – por Paulo Freire e o próprio Suassuna, entre outros –, e pelo surgimento, no mesmo ano, do Centro Popular de Cultura (CPC), da União Nacional dos Estudantes (UNE), no Rio de Janeiro, capitaneado por Oduvaldo Vianna Filho, o Vianninha. Além destes, há o aparecimento do Grupo Tá na Rua, de Amir Haddad, e do Ventoforte, de Ilo Krugli, em 1974, também no Rio – o grupo de Ilo Krugli se mudaria, em 1981, para São Paulo, onde está até hoje –, e a criação, em 1976, do Grupo de Teatro Mambembe, numa iniciativa do Sesc São Paulo, por meio da unidade Consolação, com direção de Carlos Alberto Soffredini. Esse trabalho demandou oito meses de pesquisa em fontes fundamentais para o teatro de rua, com destaque para o circo-teatro – formado por companhias de artistas autodidatas que percorriam a periferia das grandes cidades em pavilhões de lona – e culminou na superprodução Dom Quixote de la Mancha, uma adaptação da obra de Miguel de Cervantes, com 16 atores no elenco, figurinos que misturavam influências do circo-teatro e da commedia dell’arte – gênero surgido na Europa no século 6º, famoso pelo uso de máscaras que identificavam os personagens – e uma platéia que chegava a 2 mil pesoas, segundo o professor Souza Brito.


O teatro de rua teve muitas vezes o cunho político, assim tendo 'chance' de expressar. Amir Haddad, um dos maiores nomes do teatro de rua do Brasil acredita que teatro de rua é pura expressão desses conceitos, leia:

"Eu não escolhi ao teatro como carreira. Escolhi como forma de expressão. Não escolhi como maneira de ganhar dinheiro, qual é o melhor emprego, o que é que está dando mais. Não escolhi para ser artista de televisão. Não escolhi para vencer na vida. Quando eu escolhi o teatro, eu escolhi porque era a minha forma de expressão. "

Continue lendo >>

terça-feira, 21 de junho de 2011

Wilza Carla [LUTO]


Se vai parte da história do Brasil
Wilza Carla, morre com 75 anos


Wilza Carla, vedete, atriz e humorista brasileira. Foi também jurada de programas de calouros.
Cria do carnaval e do Teatro de Revista (Conheça mais sobre o teatro de Revista CLICANDO AQUI), fez muito sucesso também no cinema, além de filmes brasileiros no estilo chanchadas e pornochanchadas, fez também T.V., sendo muito lembrada com a personagem Dona Redonda da novela Saramandaia, principalmente a cena clássica em que Dona Redonda explode.

O Conteúdo cultural não poderia deixar de citar uma atriz tipicamente brasileira, que com ousadia em tempos de repressão, inclusive da família, lutou por direitos e superou preconceitos.
É muito triste saber que a população do nosso país não conhece sua cultura e diante da notícia de sua morte se perguntaram: "Ué, ela já não estava morta?".

LUTO
...
.

Entrevista no Programa Do Jô em 1988, Wilza fala de sua carreira e comenta sua dificuldades de saúde que já a afetava nessa época. (abaixo)




Continue lendo >>

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Mangá de Shakespeare??

Como todos sabem "mangá" é o termo utilizado para denominar os quadrinhos em estilo japonês (literatura japonesa), geralmente impressos em preto e branco contendo esporadicamente algumas páginas coloridas. A ordem da leitura do mangá é inversa ao do ocidental. Possui características únicas como: os olhos grandes e expressivos que demonstram emoções, com direito a gotas de suor e sangue, uma certa dose de violência e até mesmo uma sensualidade comedida. Feitos com roteiros dinâmicos e de leitura rápida prezando o movimento e a ação.
Esse estilo é muito difundido pelo mundo, sua origem está no Oricom Shohatsu, o Teatro das Sombras, onde os artistas percorriam vilarejos contando as histórias usando fantoches no período feudal. As lendas foram escritas em rolos de papel com ilustrações, assim gerando o mangá, consequentemente.

No Brasil temos as histórias em quadrinhos que surgiram no século XIX, com influência estrangeira como "Super-homem e Batman", os nomes mais conhecidos são Ziraldo e Maurício de Souza.

Depois da Turma da Mônica e Luluzinha, as obras de Shakespeare também foram adaptadas para os quadrinhos em estilo mangá. (conheça mais sobre Shakespeare CLICANDO AQUI)

Chegou ao Brasil a coleção MANGÁ SHAKESPEARE, as histórias foram adapatadas aos dias de hoje, foi originalmente lançada e 2007 e agora sendo lançado pela editora Record.


As primeiras histórias do autor inglês adapatadas foram "Hamlet" e "Romeu e Julieta".

Na versão de Hamlet, o cenário se passa em 2017, contantemente sob ameaça de guerra e sofre as mudanças climáticas. A autora dos desenhos é a Emma Vieceli, uma das vencedoras do concurso "Tokyopop Rising Stars of Manga".

Já na versão de Romeu e Julieta, o casal de namorados tem pais de famílias rivais da Yakuza. Romeu é astro do rock e Julieta, uma adolescente apaixonada por moda. a ilustradora é Sonia Leong, vencedora do "Young Adult Library Services Association".

Confira duas ilustrações CLICANDO AQUI (facebook)

A editora espera lançar versões para "Ricardo III", "sonhos de Uma Noite de Verão" e "Othello".

Continue lendo >>

terça-feira, 31 de maio de 2011

Moda: Universo Tropical


A exposição "Universo Tropical" ocupa o Armazém 2, no Pier Mauá entre os dias 31 de maio e 4 de junho, fazendo parte da programação do Fashion Rio.

A mostra reúne diversos movimentos que influenciaram a cultura contemporânea, como o tropicalista, o antropofágico e o modernista, chegando aos dias de hoje através de ícones que se destacaram com seu comportamento.

"A idéia da exposição surgiu de uma indagação. Quais elementos poderiam descrever a cultura brasileira de vestir, em todos os tempos? Chegamos então a essa teia, uma mistura de referências onde a moda aparece como cultura, como corpo, como criação de personagens", descreve a assessora da Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura Luiza Marcier, curadora da mostra ao lado de Mari Stockler, que diz: O corpo, a memória, a natureza e a cultura são inspiração para o trabalho dos designers cariocas. Neste "liquidificador" cultural, que deu origem ao nosso jeito de ser, haverá ainda referências a novelas, à arte plumária, a Carmem Miranda e ao mestre Chacrinha.

Há uma junção de várias peças coletadas de museus como a Casa da Marquesa, Museu Carmem Miranda, Museu do Ingá, Instituto Zuzu Angel e Museu Histórico Nacional. A pintura de Francisco Pedro do Amaral que mostra a imagem da Marquesa de Santos, está com exclusividade na mostra, pois ela nunca tinha saído do Museu Histórico Nacional.


*Quem é Marquesa de Santos?

A paulista Domitila de Castro Canto e Melo, mais conhecida como Marquesa de Santos, foi uma nobre brasileira, célebre amante de D. Pedro I e teve cinco filhos. Nasceu em 27 de dezembro de 1797 e morreu no dia 3 de novembro de 1867.

Residiu na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, D. Pedro I assumiu a paternidade de sua filha Isabel Maria, filha com a Marquesa de Santos, ele não preocupava em escondê-la da sociedade, deixando inquieta a opinião pública.



Além disso terá exposição do filme Macunaíma e o documentário Dzi Croquetes (Confira matéria sobre o documentário aqui no #ConteudoCultural CLICANDO AQUI), vestidos de Yves Saint Laurent, inspirados nas florestas tropicais aparecem perfilados, assim como o corte modernista das criações da estilista Zuzu Angel e até um paletó assinado por Burle Marx. Para os saudosistas dos anos 80, uma palinha: as famosas meia Dancin' Days.

Fonte:

Continue lendo >>

domingo, 29 de maio de 2011

Selma Lopes, Atriz e Dubladora



Maria Lopes Gonçalves, mais conhecida como Selma Lopes.

Atriz, comediant
e e dubladora carioca.

Viúva de Mauro Gonçalves, o Zacarias de ''Os Trapalhões''.

É uma da dubladoras mais conhedidas da dublagem por sua bela voz, imortalizou a madame Patilda de "Duck Tales", a Fada Azul do clássico da Disney "Pinóquio", a Vovó Piedade de "A Usurpadora" e é a voz oficial da Atriz Whoopi Goldberg. Começou sua carreira como radio-atriz e comediante na lendário Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro, migrando com sucesso para a TV, onde se destacou em programas de humor como "Os Trapalhões'', ''Chico City'', ''Balança Mais Não Cai'', 'Chico Anysio Show'' e ''Zorra Total'', entre outros.

Fonte: Wikipédia


Confira vídeo caseiro da atriz e dubladora fazendo as mais marcantes de suas dublagens no vídeo abaixo:






Foto referente a premiação do "Prêmio Yamato de Dublagem – Oscar da Dublagem 2006", no qual, Selma Lopes ganhou prêmio com sua dublagem da Marge Simpson, do seriado "Os Simpsons"



Selma Lopes, ao meu lado, em uma das apresentações de "Uma mulher Para Dois Maridos", espetáculo que Selma Lopes dirige, já eu fiz a produção.




No ''4º Circuito Mix de Esquetes'', Selma Lopes foi homenageada. A homenagem aconteceu no dia da premiação do festival.


A Cia. Teatral Com a Bunda Na Janela, fundada pela atriz, participou do festival com o esquete Teatral "Romeu e Julieta, a comédia", no qual eu também produzi.


Saiba mais:


Continue lendo >>

domingo, 15 de maio de 2011

Georgia Brown "A Maior Voz do Mundo em Extensão"


Georgia Brown é uma mulher que encanta: com seus cabelos vermelhos, sua grande simpatia e, principalmente, uma grande extensão vocal (que está fora de nosso campo de audição, podendo ser captada apenas por medidores de frequência - raridade vocal presente no Guiness Book com maior extensão e nota mais aguda de oito oitavas), e não somente a mim, mas também ao Jô Soares, Hebe Camargo, Luciana Gimenez, entre muitos que já encontraram com essa voz que realmente faz com que todos fiquem com suas bocas abertas. E é por isso, que Georgia Brown nascida em Nápoli, Itália, com o nome de Rossana Monti se tornou uma cantora muito venerada.

Seu single "Love 4 Real" permaneceu muito tempo nas paradas de sucesso, tocado nas melhores boates.

A cantora teve participação marcante na Parada GLBT Rio de Janeiro 2010.



Diria pra vocês, se acaso não conhecem a incrível cantora, assistam-na no programa do Jô, no da Hebe, do da Luciana Gimenez, enfim, vale muito a pena conferir as obras e a extensão de voz dessa mulher. Vídeo extremamente indicado:







Georgia Brown uma mulher guerreira que saiu das garras de seu marido no qual foi casada durante 10 anos, que tentou matá-la, que a mantinha em cárcere privado, a torturava, inclusive antes dos shows. Em entrevista ao SuperPop, programa de Luciana Gimenez, ela expôs seu drama (com humor, inacreditavelmente) superado após a prisão e suicídio do mesmo.

Esse post não é pra falar da psicopatia ou do sofrimento das mulheres agredidas, mas devo dizer que isso fez parte da história dessa cantora ítalo-brasileiro que nós devemos ter orgulho. Tenho uma tia que fugiu do marido que a manteve também em cárcere privado, fugiu do marido que lhe roubou conquistas de anos, fugiu do marido que a espancou, hoje, ele é um dos maiores médicos do Brasil, um homem 'podre' de rico ( ou melhor, podre), com família constituída (Deus sabe como). E ela? Uma mulher perseguida, uma mulher que nem os familiares sabem onde se encontra, me pergunto: Será que está viva? E se está, está bem? Passando fome? Enfim... drama de muitas mulheres do Brasil e do mundo.

Se você sofre agressão procure a Delegacia da Mulher.


Continue lendo >>

sábado, 14 de maio de 2011

Descontos - Espetáculos Rj


Garanta seu desconto imprimindo a filipeta. Dessa vez temos o espetáculo a preço popular, não perca a chance de pagar ainda mais barato através do #ConteudoCultural.

ADMILSON do ZORRA TOTAL do quadro da LADY KATE

(clique na imagem para ampliá-la)


Continue lendo >>

sexta-feira, 13 de maio de 2011

DESCONTOS INCRÍVEIS



NIZO NETO - Imprimindo a filipeta pague apenas R$10



RODRIGO SSANT'ANNA - Imprimindo a filipeta pague somente R$20



Lista- Amiga: Ligue para: 21 9638-5619, coloque seu nome na lista e pague somente R$7,50


Ligue para: 21 96385619 e pague valor promocional de R$6,00


Continue lendo >>

terça-feira, 3 de maio de 2011

Arte de Pierre Cardin


Pierre Cardin, designer de moda italiano, naturalizado francês. Foi o primeiro funcionário e chefe do ateliê dos alfaiates de Christian Dior, estilista francês. Cardin com seu estilo futurista se inspirou, inicialmente, em formas que remetiam ao 'espacial' e criava peças unissex o que revolucionava a moda da época. Sendo assim um dos responsáveis pela estética futurística dos anos 1960, usava látex e vinil e chegou a criar um tecido com o nome de 'cardine', inclusive foi ele quem vestiu o astronauta que foi à Lua, em 1969.

Suas criações conhecidas em todo mudo fez de seu nome uma marca para diversos produtos, 900 itens licenciados com seu nome circulam pelas lojas de quase 100 países, incluindo colchões ortopédicos e espaços comerciais como restaurantes, hotéis, etc. A marca 'Pierre Cardin' foi a primeira griffe internacional a chegar ao Brasil.


Foi o primeiro estilista a apresentar coleção 'Prêt-à-porter', um marco em sua carreira, pois diante das críticas que estilistas de alta costura não poderiam fazer 'Prêt-à-porter', acabou fazendo e tornando sucesso. Além disso foi o primeiro a fazer coleções masculinas. (Entenda 'prêt-à-porter' lendo abaixo a citação).


"Não tinha hábito de ver coleções de homens na França, Itália. Achei que homem poderia criar moda para homem. Liguei para as universidades e pedi para me mandarem estudantes para eu colocar na passarela. Foi um escândalo. Eu era muito jovem e tinha um lado revoltado. Resolvi vestir a multidão, pessoas comuns e comecei a vender para lojas de departamento de todo o mundo... Fui o mais jovem costureiro e sou o mais velho agora. Foram quatro gerações. Tenho sorte de estar aqui ainda". Pierre Cardin

Cardin tem muitas curiosidades, seu escritório é uma 'bagunça' e possui uma casa exótica à beira-mar, perto de Cannes, o Palácio de Bolhas. Nessa casa, tem até um teatro - sua verdadeira paixão.


“Eu queria ser ator e dançarino. Mas o negócio da moda deu certo e eu fiquei. Mas eu gravei filmes, um deles foi no Brasil, de Cacá Diegues” Pierre Cardin


Considero Pierre Cardin um grande artista da moda, da dramaturgia teatral e cinematográfica, da arquitetura e decoração. Uma pessoa muito interessante de ser pesquisada pelas curiosidades de sua vida pessoal e pelas grandes criações e conquistas. Cleyton Brayt



Exposição que aconteceu (Serviço)

Pierre Cardin - Criando Moda, Revolucionando Costumes
De 29 de abril a 29 de maio (terça a sábado das 12h às 21h, domingos das 14h às 20h)
Shopping Iguatemi: Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232, 9º andar, Pinheiros, São Paulo - SP


Links

Entrevista ao Programa do Jô parte 1

Entrevista ao Programa do Jô parte 2


Continue lendo >>

terça-feira, 26 de abril de 2011

"Rio" x "Velozes e Furiosos 5"

Já a algum tempo critico o modo em que falam do nosso país internacionalmente. Felizmente, enfim, fizeram um filme lindo: "Rio", que mostra ( e não mascara - como dizem por aí) que o nosso Rio de Janeiro, o nosso Brasil, é sim lindo e deve ser mostrada a beleza de nossas paisagens e cultura.

"Rio" é um filme que tem como um de seus diretores o brasileiro Carlos Saldanha que viajou para o E.U.A. para estudar animação, foi escrito por Don Rhymer, e em sua lista de dubladores está outro brasileiro bem visto no cenário cinematográfico internacional: Rodrigo Santoro, que dubla o personagem Túlio. Em entrevista a Folha, Rodrigo diz não ter tido preocupação com sotaque veja:

Folha - Você teve alguma preocupação com o sotaque para interpretar Túlio?


"Ele é um ornitólogo brasileiro, então não precisei trabalhar nenhum sotaque, usei o meu, de brasileiro e carioca." Rodrigo Santoro

A animação já turnou-se o filme de maior bilheteria de 2011. Confira o Trailler do filme, caso você ainda não tenha assistido, indico:



Em contraponto temos o horror da violência (que existe de fato no Rio de Janeiro) sendo mostrada no filme "Velozes e Furiosos 5 - Operação Rio". Não basta a atrocidades sociais que o a cidade sofre, precisa-se também que venham de outros países pra falar?

Continuo firme com meu pensamento, acredito que nossa política e nossas autoridades devem sim fazer com que a violência que sofremos seja findada - ou amenizada, no mínimo- mas não acho que utilizar isso como tema de filmes seja interessante em nível internacional. O Brasil está numa fase de visibilidade grande, as maiores autoridades do mundo nos observam crescer. Nosso turismo sempre crescente. A nossa pátria tem em sua agenda dois dos maiores eventos do mundo: Copa do mundo da FIFA 2014 e as Olímpiadas de 2016. É uma imagem ruim que deve ser passada pra esses turistas?

*Adendo: Acho que devem sim ser mostrados os fatos drásticos existentes na sociedade carioca, mas usá-los como forma de entretenimento é demais, reportagens e matérias em jornais para informação e conscientização é ótimo, até porque liberdade de imprensa é importante e sou contra a proibição, principalmente cultural. Sei... há quem goste de rir dos males alheios.

Confira o Trailler:



Links:

Continue lendo >>

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Stand Up Comedy - Sérgio Mallandro


Compre o seu ingresso através do INGRESSO.COM

Chegar á e dizer que é do blog #ConteúdoCultural ganhe 50% de desconto.


Continue lendo >>

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Cultura Espírita


O cinema brasileiro veio numa 'onda' de filmes que contam as histórias das favelas, sendo permeados por tiroteios e mortes como: 'Cidade de Deus', "5x Favela', 'Tropa de Elite', entre outros, que fazem muito sucesso nacional e internacionalmente. Fico muito feliz pelo fato do cinema brasileiro ser mais assistido por brasileiros. Critiquei numa outra matéria aqui do blog com dados expressivos que a maioria dos filmes em cartaz não são brasileiros.

Confira: Crítica do Cinema Atual



"Quando dizemos que a Arte Espírita será um dia uma arte nova, queremos dizer que as idéias e as crenças espíritas darão às produções do gênio um cunho particular, como ocorreu com as idéias e crenças cristãs"
(Revista Espírita1860 – Allan Kardec)


Lembro-me passar por teatros em Copacabana e Jacarepaguá e ver as platéias dos teatros lotados com espetáculos do ator e diretor Renato Prieto, ele que com certeza lotava outros teatros também. Assisti alguns de seus espetáculos, que dois deles inclusive, foram dirigidos por um de meus professores de teatro: Cyrano Rosalém. Espetáculos que usavam diferentes maneiras de se comunicar a fé. Outros dramaturgos e atores lutam pela fomentação dessa maneira de ser fazer arte.

Filmes como ' Vida Além da Morte', "Chico Xavier" e também o filme "Nosso Lar", que Renato Prieto também atua. Agora neste dia 1º de abril, estréia o filme 'As Mães de Chico Xavier'.




*Chico Xavier, foi o mais famoso médium brasileiro, divulgador do espiritismo no país. Psicografou muitos livros e participou de entrevistas que chegavam até a ser cômicas. Um fato curioso é que ele pediu a Deus para que "desencarnasse" num dia em que os brasileiro estivessem muito felizes e, de fato, o país festejava a conquista da Copa do Mundo de Futebol.




Parece que a 'onda' de cinema espírita, que mencionei antes, seja por conta do centenário de Chico Xavier, espero que ele continue impulsionando a cultural mesmo depois de 'desencarnado', só assim os brasileiros percebem que temos grandes nomes, grandes histórias e não somente tiros e sofrimento. Eu não sou espírita, mas percebo que essa é uma boa maneira de propagação da fé com consciência artística. Aguardo novos lançamentos. Aprendamos igrejas e outra religiões uma boa maneira de se cultivar a fé, sem agressões,preconceitos ou gritos. Cleyton Brayt.

Continue lendo >>

quinta-feira, 24 de março de 2011

Elizabeth Taylor ]LUTO]


O 'Conteúdo Cultural' está de luto pela morte da grande atriz Liz Taylor, que foi nesta quarta-feira dia 23, em Los angeles por insuficiência cardíaca, aos 79 anos. ETERNA CLEÓPATRA

O CCBB em homenagem a ela, exibe uma maratona de filmes, confira o serviço:

CCBB Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 Centro
Tel: (21) 3808-2020
De sexta a domingo das 9h às 24h
Entrada franca

Maratona Liz Taylor
Quando: 25, 26 e 27 de março

Programação:
- 25 de março - sexta-feira
Cleopatra - 1° parte às 21h
Cleopatra 2° parte às 23h

- 26 de março - sábado
Um lugar ao sol - 21h
De repente, no último verão - 23h

- 27 de março - domigo
Filme surpresa - 21h



Continue lendo >>

segunda-feira, 21 de março de 2011

27 de Março - Dia do Teatro


O dia mundial do teatro foi criado em 1961, pelo Instituto Internacional do Teatro (ITI), data da inauguração do Teatro das Nações, em Paris.

Matéria - ano 2009: Dia do Circo e Dia Internacional do Teatro (27 de março)

O marco principal do surgimento do teatro foi a reunião de um grupo de pessoas em uma pedreira, que se reuniram nas proximidades de uma fogueira para se aquecer do frio.

A fogueira fazia refletir a imagem das pessoas na parede, o que levou um rapaz a se levantar e fazer gestos engraçados que se refletiam em sombras. Um texto improvisado acompanhava as imagens, trazendo a ideia de personagens fracos, fortes, oprimidos, opressores e até de Deus e do diabo, segundo conta Margarida Saraiva, da Escola Superior de Teatro e Cinema, de Portugal.

A representação existe desde os tempos primitivos, quando os homens imitavam os animais, para contar aos outros como eles eram e o que faziam, se eram bravos, se atacavam, ou seja, era a necessidade de comunicação entre os homens.

As homenagens aos deuses também favoreceram o aparecimento do teatro. Na época das colheitas da uva, as pessoas faziam encenações em agradecimento ao deus Dionísio (deus do vinho), pela boa safra de uvas colhidas, assim, sacrificavam um bode, trazendo para a comemoração os primeiros indícios da tragédia.

Os povos da Grécia antiga transformaram essas encenações em arte, criando os primeiros espaços próprios, para que fossem divulgadas suas ideias, as mitologias, agradecimentos aos vários deuses, dentre outros assuntos.

O gênero trágico foi o primeiro a aparecer, retratava o sofrimento do homem, sua luta contra a fatalidade, as causas da nobreza, numa linguagem bem rica e diversificada. Os maiores escritores da tragédia foram Sófocles e Eurípedes.

Nessa época, somente os homens podiam representar, assim, diante da necessidade de simular os papéis femininos, as primeiras máscaras foram criadas e mais tarde transformadas nas faces que representam a tragédia e a comédia; máscaras que simbolizam o teatro.

O gênero cômico surgiu para satirizar os excessos, as falsidades, as mesquinharias. Um dos principais autores de comédia foi Aristófanes, que escreveu mais de quarenta peças teatrais.

Nas primeiras representações, a comédia não foi bem vista, pois os homens da época valorizavam muito mais a tragédia, considerando-a mais rica e bonita. Somente com o surgimento da democracia, no século V a.C, a comédia passou a ser mais aceita, como forma de ridicularizar os principais fatos políticos da época.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Fonte CLIQUE AQUI


Matérias neste blog que indico para quem quer conhecer mais sobre o teatro:

Dessa vez não fiz uma matéria específica para este dia, mas como encontrei um texto que diz tudo que eu gostaria de ter escrito, coloquei a disposição de meus leitores com os devidos créditos. Cleyton Brayt

Continue lendo >>

quarta-feira, 9 de março de 2011

Teatro Atual x Teatro de Revista


O Brasil foi inundado por espetáculos musicais, nos teatros vemos montagens brasileiras de peças apresentadas na Broadway, geralmente traduzidas e montadas exatamente como as originais. Essa onda fez com que a platéia teatral do Rio de Janeiro e São Paulo, principalmente, crescesse. Isso é ótimo, observando por este ângulo.

Outro gênero que se tornou popular foi a comédia Stand up. Muitos atores aderiram ao rótulo para colocar seus esquetes cômicos.

Esses gêneros viraram 'populares'. O que os brasileiros não sabem - ou fingem não saber - é que fizeram parte de um gênero que já foi popular a tempos atrás (meados do século XX), no auge do teatro no Brasil, o Teatro de Revista.

A primeira peça do gênero encenada no Brasil foi "As Surpresas do Sr. José da Piedade", de Justiniano de Figueiredo Novaes. A apresentação aconteceu em 1859, no Teatro Ginásio, no Rio de Janeiro. O teatro de Revista revelou inúmeros talentos como as vedetes, uma delas, a mais conhecida internacionalmente foi Carmen Miranda (cantora luso-brasileira, citada como identidade do Brasil entre 1930 e 1950), teve personalidades importantes como: Dercy Gonçalves, Marly Marley, Carmem Verônica, Wilza Carla, Elvira Pagã, Íris Bruzzi, Leila Diniz, Marília Pêra, Oscarito, Grande Otelo (Othelo), entre outros. Revelou também compositores como Dorival Caymmi e Noel Rosa.

Dercy Gonçalves, em apresentação.

O teatro de Revista é derivado dos vaudevilles parisienses, que eram comédias teatrais, acompanhadas de pequenos coros. Os personagens geralmente se envolviam em situações equivocadas que iam evoluindo em seu traço cômico conforme a peça se desenrolava. O autor pouco se aprofundava no aspecto psicológico dos personagens. Ele foi, inclusive chamado de 'teatro rebolado' por conta do uso da exposição da nudez e danças sensuais, esse estilo teatral não tinha texto rígido, ou seja, haviam improvisações constantes de acordo com a atualidade (assim como são construídos os textos do Stand Up). Esse tipo de teatro durou muito pouco, exatos 111 anos, mas foi nesse período que o Brasil construiu sua identidade.



Um gênero que produziu milhares de peças, centenas de canções e revelou muitas dezenas de escritores, compositores, comediantes, atores e atrizes. Os teatros onde brilharam foram quase todos demolidos.


O espetáculo não pode parar...
...é possível perceber referências à estética do Teatro de Revista na produção cultural brasileira da segunda metade do século 20 até os dias de hoje.


Teatro - Grandes espetáculos musicais, repletos de dança e sensualidade são derivados do Teatro de Revista em sua última fase, quando as vedetes imprimiam sensualidade ao espetáculo
. São inspirados nessa fase musicais como Chicago e Não Fuja da Raia, protagonizado pela atriz Cláudia Raia nos anos 90.

Cinema - O cinema brasileiro dos anos 40 absorveu características do gênero, como os quadros musicais e a sátira política. Foi para onde migraram artistas de destaque, como Grande Otelo e Oscarito, que viriam a ser os astros das chanchadas produzidas pelos estúdios Cinédia e Atlântida.

Carnaval - Os desfiles de escolas de samba no Carnaval têm em comum com a revista o caráter grandioso, a sensualidade, a estrutura narrativa em forma de quadros (as alas) e as alegorias - personificação lúdica de entidades fantasiosas.

Televisão - A partir dos anos 70, os artistas do Teatro de Revista e das chanchadas passaram a atuar em programas humorísticos na televisão que mantinham a estrutura cômica dos quadros e os tipos caricatos. Ainda durante muito tempo foi possível ver Grande Otelo, Zezé Macedo e Walter D’Ávila em programas como Escolinha do Professor Raimundo e Zorra Total, da Rede Globo, e A Praça É Nossa, do SBT. Além dos humorísticos, as telenovelas também beberam nessa fonte. É o caso, por exemplo, de Sassaricando, exibida em 1987 pela TV Globo, escrita por Silvio de Abreu e dirigida por Miguel Falabella, Ceil Thiré e Lucas Bueno. A música de abertura, Sassaricando, composta por Candeias e Jota Júnior, fez enorme sucesso como parte da trilha da peça Eu Quero Sassaricar, de Walter Pinto.


Vamos ao teatro! | Foquemos no brasileiro!


Continue lendo >>

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Karla da Silva, A nova voz da Lapa


Karla da Silva, jovem cantora carioca do bairro de Cascadura - Rio de Janeiro. Desde criança teve contato com a música nas rodas de violão de seu quintal. Karla cresceu ouvindo obras musicais de uma época cheia de preciosidades. Aos seis anos, sua alegria eram os dias em que participava dos ensaios da escola de samba do bairro, a Caprichosos de Pilares, onde seus pais eram diretores de harmonia. Em 2002 ingressou na Escola de Música Villa-Lobos onde estudou violino. Formou-se em Letras, Português - Literaturas, pela Universidade Veiga de Almeida. Estudou canto com a pianista e cantora Vera Gama, grande mestra, e em 2005 recebeu o convite para cantar na Orquestra Popular Brasil de Cara, um grupo, formado em sua maioria por estudantes de música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que mescla ritmos como xote, samba, baião, coco, maracatu e choro numa fusão performática pra lá de brasileira! Com o grupo viveu experiências musicais maravilhosas, ganhou o prêmio de 2ª melhor canção no Festival do Conservatório de Tatuí/SP, em maio de 2007 e 1° lugar no Festival de Música de Piraí/RJ em agosto de 2007. Foi classificada entre os 10 finalistas da 2ª Mostra de Novos Talentos da casa de samba Carioca da Gema em novembro de 2007 e vencedora do Concurso Holofote do Bar da Ladeira em março/2008, ambos na Lapa. Em junho de 2008 foi classificada para a final do Concurso de Calouros do programa Ponto do Samba, na Rádio Nacional, apresentado por Dorina e Ruben Confete, realizada em julho de 2008 no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. Em Outubro de 2008 participou do concurso internacional Prata da Casa PETROBRAS realizado no Villa Country - São Paulo e dirigido pelo músico e arranjador Ivan Teixeira, concorrendo na categoria “melhor intérprete”, foi analizada por Arnaldo Sacomani, Max de Castro, Lua Lafaiette, Luís Paulo Serafim e Carlos Rennó recebendo o prêmio de 3º lugar. Considerada uma das novas Vozes da Lapa, Karla está as voltas com a produção de seu primeiro cd, esperado para 2010, no qual contará com canções desta nova safra de compositores - além de uma composição da própria cantora.

Sua proposta é resgatar a poesia das canções, do velho samba, da Bossa Nova, do cancioneiro brasileiro, os batuques, tornar reais as lembranças do antigo quintal.

"Cantar é a coisa que mais amo fazer na vida e a cada dia cantar toma uma forma maior na minha maneira de lidar com o mundo, com a natureza, com as emoções e as pessoas. Gosto de olhar nos olhos, gosto de ver o riso das pessoas, eu canto pra viver, canto para o mundo, com amor, canto para o coração de cada ser humano, seja quem for." Karla da Silva.

Em seu primeiro trabalho fonográfico, intitulado "Festejo e Fé", Karla nos apresenta um universo grandioso de sentidos advindos principalmente de nossa "brasilidade" (inclusive com toda a diversidade que esse nome representa), pois "Festejo e Fé" é exatamente isso, representa a própria cultura do brasileiro, muito fincada em grandes festejos, quase sempre advindos de manifestações calcadas na fé. "Festejo e Fé" além de tudo isso é também um convite para dançar junto, celebrar e se emocionar, pois como bem diz a canção homônima de Fred Demarca e
Marcelo Fedrá:

"Festa não tem hora prá acabar, reza pra vida durar o que puder, Festejo e fé."

Karla da Silva se apresentou no dia 25 de janeiro no Espaço cultural da Multifoco, também na Lapa e conta como foi a emoção de mais um show "Festejo e Fé":


Foi bom demais rever os amigos, fazer novos amigos e perceber o quanto as pessoas respeitam e acreditam nesse trabalho, estão ali com carinho.
A platéia tava se curtindo, acho que esse show foi um reencontro da tribo também! (risos)
E ao mesmo tempo uma celebração, um festejo feito com carinho pros que estavm vindo pela primeira vez e serão sempre bem vindos!
A casa teve lotação esgotada, isso foi chato, e infelizmente alguns amigos não conseguiram entrar...mas breve teremos mais festejos!

Todos do show saíram entusiasmados e animados, no fim do show a grande maioria foi cumprimentá-la e seus músicos. Entre tantas declarações que soubemos, essa me chamou atenção porque foi exatamente o que eu pensei:

"Fiquei fascinado pelo seu Show! Foi lindo e emocionante demais! Não foi só beleza para os ouvidos, mas também para os sentidos e, melhor, foi bom para o coração. Já estou ansioso pelo show na Lapinha!
Um beijão!"
(Vinícius Rosa Ribeiro - Rio de Janeiro)

Confira algumas perguntas respondidas pela cantora CLICANDO AQUI.


Confira o vídeo-release de seu cd "Festejo e fé", realizado pela Caixa Preta Produções Artísticas (Contatos abaixo):





Show "Festejo e Fé"

Local: Lapinha (Mem de Sá, 82 - Lapa), às 21:30 . Valor: 12,00
Ligue para reservar sua mesa: 2507-3435 ou 2507-3414


Contatos:

Caixa Preta Produções
(21) 2471-5117 / 9638-5619

Links

Karla Da Silva


Orquestra Popular Brasil de Cara

Continue lendo >>

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Instituto Nossa Senhora do Teatro

Instituto Nossa Senhora do Teatro, é uma instituição que trabalha inspirada nos ensinamentos da grande dama do teatro Fernanda Montenegro (Confira matéria sobre Fernanda Montenegro aqui no blog: 'Fernanda Montenegro ganha livro da Coleção Aplauso'). Fundada em 07 de agosto de 2003, a Nossa Senhora do Teatro é fruto da Oficina de Leitura Dramatizada, realizada pela atriz Fernanda Montenegro em 2002, no SESC de São João de Meriti - RJ, no qual seu fundador, Ricardo A. Vassílievitch, foi um dos selecionados para a oficina. Depois do término, encantado com a atriz abriu a instituição com o objetivo de passar esses conhecimentos para os atores que verdadeiramente pretendem o TEATRO, homenageando-a com o nome da instituição.

Cleyton Brayt: Ricardo, o que mais te encantou em Fernanda?

Ricardo: Fernanda Montenegro é conhecida como a grande dama do teatro brasileiro, título este que não aceita, até porque existem outras damas incríveis como Cacilda Becker, sua irmã Cleyde Yáconis, Ariclê Perez, Dulcina de Morais, não se espante quando falo de nomes que aparentemente não estão entre nós, essa nova geração não os conhecem, e também não tem interesse pela história do teatro, o que é de se lamentar. Mas saibam todos que um artista nunca morre, ele se eterniza pelas obras que deixa e por suas atitudes. Fernanda eu não conheci bem, digo isto porque conheci Arlette Pinheiro, já que quando aluno Fernanda estava completamente despojada da personagem que a reveste e que a indústria televisiva, cinematográfica e teatral corporativa exige dela. Em nossa Oficina de teatro, a que ela ministrou para nós em 2002, não havia nada disso, era uma amiga, uma colega de trabalho, uma mãe, uma avó ensinando seus filhos sem qualquer limite imposto por ela, éramos literalmente iguais. Lembro-me exatamente quando um dia ela disse:

"Gente, eu não sei tudo, sou de uma geração literária, li muito e hoje leio menos. Mas quem desejar saber tudo vai enlouquecer, vamos devagar, sem pressa!” Fernanda Montenegro

Fernanda moveu meus pensamentos, fez com que eu revisasse meus ideais e então minha vida se dividiu em A.F e D.F, e tudo foi diferente a partir dos idos anos de 2002. Mas a sua simplicidade, humildade, o não estrelismo e o fato de equiparar a sua profissão como a de uma simples operária, isso foi para mim como uma fenda aberta no meu coração. Fernanda é uma mulher espiritualizada, isso fez com que nós nos aproximássemos. Fernanda não retém conhecimento e fala de quase um tudo através de sua sabedoria, sei de muitas coisas que aprendi com ela, coisas que posso dividir e outros mistérios que transcendo e morrerão comigo, pois houve ali um pacto de fidelidade.

A Nossa Senhora do Teatro possui alguns cursos nos quais trabalha com bastante exigência para que haja o desenvolvimento dos alunos, o curso mais importante é o 'Preparação e desenvolvimento do ator', com bolsas de 100%, que para conseguir os alunos-atores participam de uma seleção super acirrada.
No decorrer do curso os alunos-atores encantados com as aulas e a participação montam espetáculos, como trabalho escolar e, participam da Imersão Teatral, que geralmente é realizada na Aldeia do Arcozelo, em Paty dos Alferes. Ricardo A. Vassílievitch falou um pouco sobre a Imersão Teatral. (Leia a entrevista na íntegra no final do post)

O Instituto recebeu o prêmio do Itaú Unicef (outubro de 2009) como uma das 20 melhores 'Instituições de Cultura, Arte e Cidadania', no regional Rio de Janeiro e Espírito Santo. Ricardo A. Vassílievitch, no dia da premiação participou de um curso de gestão e capacitação na área de cultural, organizado pela CENPEC (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação comunitária.) Neste dia, Ricardo expôs as dificuldades de se fazer teatro e mostrou esperança no nossa país:


“As coisas não tem sido fáceis, mas não dá para desistir, é preciso sempre acreditar num país melhor, cada um contribui com o que tem, nós temos o teatro e ele pode ter a função de entreter, mas também a de educar, de formar uma nova geração de artistas e homens de bem, isso eu aprendi com uma mulher chamada Fernanda Montenegro!" Ricardo A. Vassílievitch

(Recebimento do certificado do ITAÚ UNICEF)

O Instituto antes funcionava numa sala da Central do Brasil, hoje, com nova sede localizada na Rua da constituição, nº34 - Centro do Rio de Janeiro - RJ. Esta nova sede impulsiona os integrantes do instituto, o fundador fala mais sobre as novas realizações e os novos projetos:

Estamos envolvidos em intensas reuniões pedagógicas, organizando o espaço, nos acostumando com ele, pois tínhamos apenas uma saleta e agora temos um mundo e, a responsabilidade aumentou. Mas podemos dizer que a grade de Oficinas vai aumentar, teremos novas oficinas como: O ator compositor, Teatro-terapia, Teatro para a Infância e adolescência, Teatro básico para iniciantes, Teatro para Espaço alternativo e Oficinas rápidas. O número de vagas para o Curso com fins profissionalizantes, o curso mais avançado aumentou para quase 300 vagas por ano. Também haverá outras oficinas como desenho, música e hip-hop. Isso sem falar nos espetáculos que irão estrear, já temos confirmado os espetáculos da Companhia: “Santa Navalhada”, a história de uma travesti do Rio de Janeiro, dos anos de 1990, moradora da Lapa, uma história intrigante onde se discute o amor e o preconceito protagonizada pelo ator Jefter Paulo e, também “Casa de Misericórdia” que aborda temática sobre a prostituição na Bahia, a saga de uma família que passa de geração a geração a direção de um prostíbulo.

Recado para nosso leitores:

Primeiramente, quero agradecer a sua gentileza pelo convite e não posso deixar de citar aqui membros tão importantes da Companhia Nossa Senhora do Teatro, como Jefter Paulo, que está no Projeto desde 2003, foi o aluno número um, hoje é nosso preparador de corpo, professor de teatro e estudou também com gente importante e séria como Sérgio Britto, Ana Kfouri e Déborah Colker e hoje estuda produção cultural numa universidade pública, além de Pedagogia Waldorf, isto tem permitido um fortalecimento de nossas atividades. Não posso deixar de falar da atriz Ana Ýcaro, hoje atriz e professora das nossas Oficinas, Arnaldo Passos, Fernanda Torres, Adriana Felício e de todos aqueles que nos apoiaram indireta ou diretamente para que nosso trabalho se tornar-se uma referência na cidade do Rio de Janeiro, incluí-se a essa lista todos os nossos ex-alunos como você, e também todos os alunos atuais. Eu gostaria de dizer aos leitores que é possível se fortalecer uma arte tão profunda como o teatro e cada vez mais humanizá-la, o teatro só para vocês terem idéia também pode curar chagas, são inúmeros os relatos que temos de atores que obtiveram curas através da arte e, para encerrar deixo uma frase de Paschoal Carlos Magno, o grande teatrólogo e embaixador da cultura no Brasil

“Um país se apresenta pelo teatro que representa!”

O que estamos apresentando no Brasil? Como estamos representando o nosso país? Muito obrigado.



Se inscreva no curso de 'Preparação e Desenvolvimento do Ator" no Instituto Nossa Senhora do Teatro, as inscrições vão ate dia 23 de fevereiro, não perca! Link abaixo.


Links:


Continue lendo >>

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Espetáculo: Facínora

A Cia. 2 de Teatro estréia o espetáculo "Facínora" entre os dias 9 a 16 de fevereiro no VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA 2011. A peça mostra a história de uma personagem perversa, cruel, má e desalmada e nos mostra uma realidade com críticas mordazes, expondo toda a sua ironia e sarcasmo contra a sociedade e opiniões públicas. Não suporta pequenos detalhes, como um dedinho do pé pra fora da sandália a barulhos de boca. É uma peça onde se discute a intolerância e suas conseqüências: o que resulta na intenção de deixarmos de querer dominar o outro, dominando a nós mesmos.

Facínora é uma mulher de meia idade casada com Porfírio. Dona de um humor sarcástico, de uma personalidade intolerante e de uma sutileza de detalhes atípicos, está sempre pronta a criticar com frieza e crueldade todas as pessoas e situações à sua volta. Porfírio durante toda a narrativa não menciona uma palavra. Indiferente aos comentários de Facínora, se mostra sempre abstraído e inatingível.



Saiba mais sobre a CIA 2 DE TEATRO:



Assista o vídeo promocional:




FICHA TÉCNICA

Atores: Gustavo Rizzotti e Bruno Caldeira
Direção e concepção: Coletiva
Cenário, Figurino e Trilha Sonora: Bruno Caldeira
Iluminação: Gustavo Rizzotti
Produção: Frederico Magella

SERVIÇO

FACÍNORA NO VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA
Data: 08, 09 e 14,15 e 16 de fevereiro, às 20:00
Local: Teatro Marília
Av. Alfredo Balena, 586 – Centro - Belo Horizonte
Classificação: 16 anos

ASSESSORIA DE IMPRENSA
PESSOA Comunicação e Relacionamento
Telefone: (31) 3485-7875
LINK:




Como podem perceber a partir da leitura do release e ao assistir ao vídeo promocional, o espetáculo é bem curioso e intrigante.

Agradecimentos especiais:
Frederico Magella e Assessoria PESSOA Comunicação e Relacionamento

Continue lendo >>

E o povo todo viu!

  ©Conteúdo Cultural - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo